Ir para o conteúdo

O Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF), entidade que representa parte do setor de base florestal brasileiro e congrega 23 entidades sediadas em diversos estados, somando mais de 3.500 empresas associadas, vêm a público, após matéria veicula no programa Fantástico da rede Globo (20.11.22), na noite de ontem, manifestar seu total apoio, a toda ação e operação dos órgãos ambientais competentes e força policial, que visem coibir crimes ambientais de qualquer natureza.

Registramos nosso posicionamento rigorosamente condenatório aos atos ilegais, que ainda são praticados na atividade madeireira, incluindo os noticiados na reportagem, que desvendou a ação dos grupos criminosos, formados pela associação de madeireiros e indígenas, em um esquema de extração ilegal de madeira em sete terras indígenas; e posteriormente, fraude documental, visando a regularização do crime.    Uma triste realidade ainda vivida no nosso pais, que deve ser punida com os rigores da lei.

Ressaltamos, que o setor de base florestar aqui representado pelo FNBF e seus associados, trabalham dentro da total legalidade, GERANDO EMPREGOS e MOVIMENTANDO A ECONOMIA do nosso estado de Mato Grosso, representando uma das principais bases econômicas de mais de 44 municípios mato-grossenses.

Assim, como muito bem pontuado pelo Presidente do Fórum Nacional de Base Florestal, Frank Rogieri de Souza Almeida:

“A repressão aos crimes ambientais e o combate à exploração ilegal da atividade madeireira é, inclusive, de interesse do Fórum Nacional de Base Florestal, pois quem age na legalidade e dentro das normas ambientais não pode ser confundido com quem não respeita o meio ambiente e age de forma criminosa.

As ações ilegais retratadas na reportagem contaminam toda a cadeia produtiva, além de depreciar o valor de mercado da madeira nativa e desprestigiar aqueles que investem recursos e esforços para garantir o cumprimento da lei.”

            O setor busca incorporar a sustentabilidade aos seus negócios, a partir da construção de legados econômicos, sociais e ambientais, gerando renda ao nosso país, juntamente com o Governo Federal, Governo Estadual e toda a sociedade.

            Há ainda muito a ser feito, inclusive com a implementação de políticas públicas efetivas, que proporcionem a presença real do Estado dentro da Amazônia, tratando e acompanhando a vicissitudes locais, mas, destacamos que muito tem sido feito pelo setor produtivo organizado, cujo objetivo primeiro é a produção legal com respeito ao meio ambiente, ficando aqui nossa defesa e apoio aos que trabalham dentro da legalidade. 

                                                 

Frank Rogieri de Souza Almeida

Presidente Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF)