Ir para o conteúdo

Mato Grosso é responsável por 85% da produção sustentável de madeira no país

A terceira edição do Dia da Floresta retratou mais uma vez que o setor madeireiro, em Mato Grosso, atual com responsabilidade e sustentabilidade ambiental. No evento foi realizado na quinta-feira (14), em Sinop, participaram cerca de 90 pessoas, dentre elas, diplomatas de seis países.

“O Dia da Floresta serve para quebrar paradigmas, transparência e conhecimento a todos os agentes que participam da preservação ambiental brasileira, que participam da execução do manejo florestal, da fiscalização, do controle, da venda de produtos florestais no Brasil. Por meio do manejo florestal sustentável é possível associar a preservação das florestas brasileiras e o setor econômico”, avaliou o presidente Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF), Frank Rogieri.

O FNBF é um dos organizadores do evento ao lado do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeiras do Estado de Mato Grosso (CIPEM) e da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA).

A sustentabilidade na produção florestal de Mato Grosso foi tema da palestra da secretária de Meio Ambiente de Mato Grosso, Mauren Lazaretti. O Estado tem cerca de 860 empresas ligadas ao setor e destacou também o Programa Carbono Neutro com objetivo de reduzir em 80% das emissões de gás carbônico até 2035. Para isso, o Governo conta o setor privado para a produção sustentável.

Mato Grosso é responsável por 85% da produção sustentável de madeira, seguido do estado do Pará, com 28,2% e Rondônia, 19,8%, conforme as informações do Ibama.

Além dos diplomatas dos Estados Unidos, México, Panamá, Peru, Equador e Finlândia, o Dia da Floresta recebeu representantes da Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT); Frente Parlamentar Agropecuária (FPA); Ministério Público Estadual (MPE); Polícia Rodoviária Federal (PRF); Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); Ministério das Relações Exteriores (MRE); Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA); Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama); Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e Juizado Volante Ambiental (Juvam).