Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal participa do evento “Ideias inovadoras para a cadeia da construção em madeira” em São Paulo.

Foto: Construção com uso de estrutura de MLC de eucalipto juntamente com alvenarias e outros materiais.

O FNBF participou do evento “Ideias inovadoras para a cadeia da construção em madeira”, promovido pelo Núcleo da Madeira em parceria com o WWF Brasil, que aconteceu entre os dias 10 a 12 de junho em São Paulo no auditório do Sinduscon e no centro de convenções da FAAP.

O evento teve como objetivo apresentar aos participantes os principais aspectos da cadeia construtiva, envolvendo os setores que podem fazer a diferença para a ampliação do uso da madeira na construção, dividido em 5 módulos temáticos relacionados a cadeia de construção em madeira.

No módulo 1 o tema abordado foi a rastreabilidade dos produtos florestais (experiência colombiana), ferramentas para incrementar exportações como sistemas de Due Diligence e experiências de exploração de florestas plantadas com geração de valor.

O módulo 2 abordou os componentes da madeira para construção, desde o cenário industrial madeireiro no Brasil, propriedades da madeira do plantio ao uso final, produção de CLT (Cross Laminated Timber) e também os sistemas de fixação de componentes de madeira.

O módulo 3 tratou sobre os sistemas construtivos em madeira, com apresentação de experiências em habitação social no Programa Minha Casa Minha Vida, cases de obras em MLC (madeira laminada colada) e o renascimento do mercado chileno de madeira.

O Módulo 4 foi sobre o mercado e suas regulamentações com a apresentação dos desafios para a construção de edifícios altos de madeira no Brasil, normatização, cases sobre incêndio e recuperação de edifícios.

E no módulo 5 foram abordados os temas do projeto e da educação, com apresentação de experiências chilenas em arquitetura a experiência da FAAP na pós-graduação em madeira.

No dia 12 de junho, os representantes do FNBF efetuaram visitas técnicas a quatro residências estruturadas em madeira, sendo que cada uma delas representa soluções construtivas em diferentes épocas.

A primeira visita foi a uma residência construída em sistema construtivo viga-pilar – que são vigas com madeira nativa da mata atlântica do sul da Bahia, sendo uma das poucas casas de autoria do arquiteto Zanine Caldas em São Paulo.

Dando sequência, a segunda residência visitada, foi a do engenheiro Hélio Olga, autor de uma estrutura arrojada em madeira tropical de angelim vermelho, que expõe a grande aptidão da madeira nativa para estruturas especiais, pois foi construída sobre um terreno muito acidentado (superfícies irregulares).

A terceira edificação visitada emprega madeira serrada de eucalipto em seu sistema estrutural, destacando as várias qualidades construtivas do material.

E findando as visitas técnicas, a última residência apresentada, foi de uma construção recente que utiliza de uma estrutura feita com MLC (madeira laminada colada) de eucalipto, juntamente com alvenarias e outros materiais, relação essa que fortalece a atualidade tecnológica da madeira nas habitações.

O evento aponta para um mercado gigantesco a ser explorado no Brasil, onde já se produz habitação pré-fabricada em madeira com qualidade superior e custo inferior às de alvenaria e já se trabalha na normatização técnica para a produção de edifícios em madeira de até 04 pavimentos.

Com isso, a cadeia de produção da madeira emprega uma grande importância na economia do Brasil, pois possui um menor impacto ambiental quando comparado a todos os outros materiais utilizados no mercado da construção civil, sendo essa uma das características vitais que contribuem para o futuro do nosso planeta.

Avanços como esses geram credibilidade ao setor de base florestal, além de ser um mercado altamente promissor, porém este campo necessita ainda ser melhor divulgado, já que o grande obstáculo no Brasil é a falta de conhecimento.

Laíza Taineli – Publicitária