NOTA DE REPÚDIO

O Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF), entidade nacional representativa do segmento, vem a público manifestar seu repúdio em relação aos fatos ocorridos na manhã (07.07) no interior do estado do Pará, próximo ao município de Altamira, onde uma carreta que transportava veículos do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) foi supostamente incendiada.

Repudiamos qualquer tipo de violência e somos contrários a quaisquer atos que visem impedir ou dificultar a fiscalização ou monitoramento ambiental, bem como intimidar os agentes que realizam atividades de combate ao desmatamento ilegal.

É com tristeza que, infelizmente, ainda vemos tentativas por parte da imprensa de vincular tais atos criminosos às atividades do setor de base florestal. Somos um setor sério, que atua dentro da legalidade e que defende a manutenção da floresta em pé aliada à exploração sustentável de suas riquezas.

Reforçamos que não compactuamos com nenhum tipo de crime ou devastação ambiental. Ao contrário, atuamos em parceria com os órgãos ambientais cotidianamente na proposição e implementação de mecanismos de sustentabilidade, considerando às necessidades de desenvolvimento econômico e social em harmonia com o meio ambiente.

Repudiamos também a decisão do IBAMA de bloquear todas as empresas florestais da região de Novo Progresso/PA, impedindo assim que exerçam suas atividades. Penalizar todo um segmento, que é sério e que atua na legalidade, não vai resolver o problema e nem ajudar na investigação e identificação dos verdadeiros responsáveis por esses atos. Ao contrário, cria ainda mais tensão, gera prejuízos ao setor, como perda de contratos, atrasos nas entregas de produtos e etc., e sobretudo, prejudica os trabalhadores e suas famílias.

Reconhecemos a gravidade da situação e somos totalmente solidários ao IBAMA e seus servidores e agentes, diante deste suposto crime, que prejudica toda a região ao fragilizar as necessárias ações de fiscalização. Torcemos para que as autoridades competentes possam investigar e identificar rapidamente os responsáveis por este ato e contamos com o bom senso dos gestores dos órgãos responsáveis, para que as empresas sejam desbloqueadas com a maior brevidade possível.

 

Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF)