Em MT, Simno apresenta a vereadores o sucesso da evolução de compostagem na estação experimental

Por: Assessoria de Imprensa – Simno
thumb

Vereadores do município de Juína acompanharam o presidente do Sindicato das Indústrias Madeireiras e Moveleiras do Noroeste de Mato Grosso (Simno), Roberto Rios, na visita que realizou a unidade experimental do “Projeto de Compostagem de Serragem pela adição de consórcio Bacteriano” na manhã desta terça-feira (21).

Em um pequeno espaço, aos fundos da Delazza Madeiras, do empresário e atual presidente do Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF), Geraldo Bento, no setor industrial, foi depositado pó de serra e através de um processo biológico de decomposição controlada da fração orgânica contida nos resíduos, chegará a um produto estável, similar ao húmus.

De acordo com o projeto, acompanhado e aferido pelo Engenheiro Agrônomo Tássio Souza Fernandes em parceria com o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Campus Juína, o produto final (composto) será definido como melhorador de solo, preparado com resíduos de indústrias madeireiras e moveleiras (pó de serra) e incorporado a material orgânico.

A visita ao experimento se deu em razão do setor de base florestal estar em vias de iniciar, em uma área na MT-170, doada pelo executivo, mas que ainda depende da aprovação da câmara de vereadores, a industrialização dos resíduos das indústrias de Juína resultando na fabricação da compostagem, dando assim, uma destinação aos materiais, que atualmente estão estocados nos pátios das indústrias.

O presidente Rios explicou aos parlamentares que o projeto está sendo um sucesso. “Esse projeto de fabricação da compostagem como melhorador do solo é a esperança do setor de base florestal que está a 20 anos passando por este problema, graças a parcerias importantes como o IFMT e o Frigorífico RS Juína conseguimos essa bactéria que está sendo utilizada no processo”, disse.

Ele informou ainda que o período de compostagem depende, fundamentalmente, do processo utilizado e do tipo de material a ser composto. Na compostagem de resíduos orgânicos é adicionada na mistura uma porção de resíduo orgânico (rumem de origem bovina), fornecido pelo frigorifico RS de Juína, serragem e bactérias. O projeto está bem fundamentado e vem sendo acompanhado de perto pelo Engenheiro Agrônomo Tássio Souza Fernandes e pelo Diretor Executivo do Simno, Ederson Thomaz de Aquino.

Os vereadores ficaram satisfeitos em conhecer o processo e ver que em pouco tempo o problema dos resíduos será solucionado. No terreno doado ao setor, os resíduos não serão apenas armazenados, mas sim reciclados e transformados em composto melhorador do solo (adubo).